terça-feira, 13 de dezembro de 2016

FISIOTERAPIA: Reabilitação P.O. LCA

Olá pessoal!!!

Vamos falar um pouquinho sobre a reabilitação do pós-operatório do ligamento cruzado anterior? Como vimos, essas lesões são bastante comuns, e é importante que nossos pacientes sejam orientados da melhor maneira possível.

Um estudo de Pimenta T.S. et al, 2012, nos mostrou que existem inúmeros protocolos de reabilitação para esse tipo de pós-operatório. Todos eles possuem um único objetivo: dar ao paciente as mesmas capacidades funcionais do membro que não foi submetido à cirurgia.

Por este motivo, acho que antes de você montar um protocolo a ser seguido, é necessário que você estude a fundo as características da população que você atende, focando em um tratamento adequado para o seu tipo de doente. Outra coisa que também é muito importante, é conversar com o médico responsável. Alguns médicos liberam descarga de peso parcial no dia seguinte, enquanto que outros preferem ter mais cautela quanto a isso. É muito importante saber o que o cirurgião tem de programação para o doente, e após esse esclarecimento, você pode montar a sua proposta terapêutica e conduta em relação ao paciente.



Feito isso, podemos aqui enumerar alguns trabalhos que são fundamentais no tratamento desse tipo de doente:

1) Mobilização de patela e fortalecimento isométrico de musculatura nos 15 primeiros dias de pós-operatório. Trabalhar a amplitude de movimento (ADM) passiva e/ou ativa, até o limite que o médico estabelecer;

2) Fortalecimento muscular com carga progressiva;

3) Treino de marcha sem dispositivo auxiliar (de acordo com liberação do médico);

4) Trabalho de ganho de ADM progressiva de acordo com liberação médica;

5) Analgesia durante todo o trabalho -> orientar sobre a crioterapia e elevação do membro para diminuição da dor e edema, caso o último exista;

6) Propriocepção: geralmente liberado após o segundo mês de cirurgia.

Muitos cirurgiões também recomendam a hidroterapia, e após aproximadamente 6 meses estão liberados para a musculação, natação, caminhadas. O retorno à atividade física dependerá do desempenho de cada paciente durante a reabilitação, e mais uma vez, da liberação do médico responsável.

Importante enfatizar mais uma vez que o tratamento fisioterapêutico deve estar alinhado com o médico cirurgião para que não haja nenhuma discordância. Caso você trabalhe em algum lugar onde todos os pacientes são operados pela mesma equipe, desenvolva com a equipe médica um protocolo a ser seguido, o que facilitará os seus atendimentos.

ATENÇÃO: As informações existentes neste blog pretendem apoiar e não substituir a consulta médica e/ou fisioterapêutica. Essas informações são de caráter educativo, por isso, em caso de dúvidas, não hesite em realizar sempre uma avaliação pessoal com um médico/fisioterapeuta da sua confiança.

“Lembre-se sempre: Para uma vida saudável, cuide da saúde do seu corpo, da sua mente e do seu espírito.”

Fisioterapeuta Carolina Bagnariolli

@carolbagnariolli
@fisioterapiaortopedica


Fontes:
1) Pimenta TS. Protocolos de tratamento fisioterápico após cirurgia do ligamento cruzado anterior. Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 3/ nº 1/ Junho de 2012.
2) Rêgo AS. Atuação da fisioterapia no pré e pós-operatório de reconstrução de ligamento cruzado anterior. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, Edição Suplementar 1, São Paulo, v.8, n.46, p.367. 2014. ISSN 1981-9900.

Nenhum comentário:

Postar um comentário